Região Grande Florianópolis

Prefeitura garante que elevado John Kennedy não apresenta riscos

TCE teria recomendado a interdição da estrutura

Autor
Prefeitura garante que elevado John Kennedy não apresenta riscos
Foto: Google Maps

Após o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE-SC) recomendar à Secretaria de Infraestrutura de Florianópolis a interdição do elevado John Kennedy, na cabeceira continental da ponte Hercílio Luz, a prefeitura da Capital afirmou que uma avaliação, entregue em 1º de julho, garante que a estrutura não apresenta perigo de rompimento.

PUBLICIDADE

Segundo o TCE, em uma avaliação de capacidade, o viaduto recebeu nota mínima numa escala de 1 a 5. Conforme o Tribunal, um perito teria analisado o elevado entre fevereiro e março deste ano, indicando que “inexiste risco iminente que comprometa a continuidade da utilização”. No entanto, afirmou que uma parte, à qual não teve acesso, pode romper a qualquer momento por ter bastante armadura exposta.

A prefeitura da Capital contrapõe, alegando que houve uma avaliação mais recente, feita em junho e entregue em julho. O documento atesta que não existe ameaça de ruptura.

A administração municipal teria informado um prazo, que finalizaria em setembro, para entregar um projeto executivo. Após o TCE solicitar a antecipação, uma nova data foi indicada: 20 de agosto. Porém, para o Tribunal, a mesma não é satisfatória no atual cenário.

De acordo com o laudo, pode, sim, acontecer uma ruptura a qualquer momento. Vamos avaliar as informações da prefeitura. Se garantirem que o laudo de fevereiro não se aplica, vamos considerar, mas, hoje, no processo e nos relatórios que a prefeitura faz, há risco de ruptura”, explica o diretor de licitações e contratações do TCE, Rogério Loch, que pede providências.

Já o secretário de Infraestrutura, Rafael Hahne, explicou que o elevado não tem fissurações ou deformações excessivas. Ele afirmou que o parecer do Tribunal será avaliado dentro do prazo. “É uma obra importante que vamos priorizar para recuperar”, garantiu. A obra do projeto executivo é estimada em R$ 650 mil.

Relacionadas