Região Balneário / Itajaí

Urna mortuária resgatada em bar de Itapema é devolvida: “foi engano”

O mistério continua: de quem é a urna e quem a teria esquecido?

Autor
Urna mortuária resgatada em bar de Itapema é devolvida: “foi engano”
Foto: Arquivo Pessoal

A urna mortuária misteriosa, que teria sido deixada em um bar de Itapema e posteriormente resgatada por um suposto familiar do morto, foi devolvida ao bar nesta sexta-feira (16). Ela teria sido levada no dia anterior, na quinta (15) por um rapaz que se apresentou como filho do homem cremado, mas ele devolveu afirmando ter se enganado.

PUBLICIDADE

O objeto, que contém um material semelhante a cinzas, teria sido deixado dentro de uma sacola preta no Bar do Zico ainda em janeiro. O proprietário do bar, Ademilson Quaresma, contou que, a princípio, achou que o objeto era um vaso de flores, pois nunca tinha visto uma urna funerária.

Ela foi deixada por um cliente que havia entrado no bar para comprar água e só foi percebida no final do expediente, no momento em que Quaresma encerrava os atendimentos. Com o passar dos dias, clientes do estabelecimento informaram ao dono que o objeto era um item funerário. Passados mais de 30 dias, ninguém teria resgatado a urna, o que causou curiosidade tanto em clientes como em internautas que acompanharam o caso.

O mistério parecia ter sido resolvido quando alguém chegou ao bar, na quinta-feira, informando ser o filho do morto, cuja urna teria sido esquecida no local. Segundo o proprietário, o rapaz teria informado que o objeto teria sido abandonado por seu irmão, que estava transtornado em decorrência da perda do pai.

Porém, o mesmo homem retornou ao bar na manhã desta sexta para devolver a urna e afirmou que havia se enganado. “Levaram o falecido e me devolveram. Vou cuidar dele agora. Vou acender mais uma velinha ali para ele, que ele encontre o caminho da luz”, disse Quaresma.

O homem explicou ao dono do bar que sua família havia perdido a urna do falecido pai, mas que depois, ela foi encontrada em outro local. Ademilson brincou: “De certo é para ficar aqui”. Por conta disso, o mistério da urna no Bar do Zico continua.

Relacionadas