Região Brusque

Viúva Negra: Polícia revela detalhes do assassinato de empresário em SC

Saiba também quem é um dos executores contratados pela esposa

Autor
Viúva Negra: Polícia revela detalhes do assassinato de empresário em SC
Edinei, a vítima, (à esquerda), a vipuva negra Elisa e o executor, Kauê Becker. Fotos: Facebook / divulgação

A Polícia Civil prestou mais esclarecimentos sobre o caso da mulher que foi presa acusada de encomendar a morte do marido. O caso aconteceu em Brusque, e ganhou repercussão nacional depois que as investigações desvendaram o crime com um desfecho nefasto. Elisa Zierke dos Passos da Maia foi presa na manhã desta sexta-feira (21), junto com outros três homens. Entre eles, Kauê Hans Becker, conhecido como “Gordo”, que teria sido o autor dos disparos que mataram o empresário Edinei da Maia, de 30 anos.

PUBLICIDADE

De acordo com o delegado Alex Bomfim Reis, que comandou as investigações, O empresário foi assassinado a mando da esposa, que contratou um matador de aluguel, o qual subcontratou outros três homens para auxiliar no crime.

Edinei foi morto no dia 22 de fevereiro, quando saiu de casa dizendo que iria até o cemitério da cidade de Vidal Ramos para fornecer um orçamento para um cliente. Edinei possuía uma empresa de marmoraria, e costumava prestar serviços em lápides e sepulturas.

A Polícia descobriu que o automóvel do empresário havia sido levado, criando a suspeita inicial de latrocínio, onde os ladrões matam para roubar. Posteriormente, o carro foi localizado no município de Palhoça, na Grande Florianópolis.

A polícia então passou a concentrar a investigação em pessoas que tinham relação com esse veículo, cumprindo mandados de prisão e busca e apreensão em diversas cidades.

Momentio em que a Polícia prendeu Kaue Becker, no bairro Bateas, em Brusque. Foto: Polícia civil / divulgação

Conforme a Polícia, Edinei foi rendido quando estava em Vidal Ramos e foi levado, dentro do próprio carro, para Canelinha, onde inclusive há havia uma cova aberta pelos criminosos para esconder o corpo.

Edinei foi morto a tiros, numa região de mata na região do morro do Gavião, no interior de Canelinha, próximo à divisa com Brusque. De acordo com o delegado, a cova da vítima já estava aberta dias antes e que, inclusive, os criminosos fizeram um churrasco no local.

O delegado contou que Elisa ainda trocou mensagens com um dos criminosos. Ela revelou a forma como iria encenar a dor do luto pela perda do marido. “Foi um crime premeditado e minuciosamente planejado”, salientou Alex.

Em seu depoimento, Elisa contou aos policiais que encomendou a morte do marido porque costumava ser agredida por ele. Ela também afirmou que Edinei abusava de crianças, versão logo descartada pela Polícia.

Ao contrário do que Elisa afirmou, era ela quem costumava agredir o marido, conforme um registro de violência doméstica registrado em 2012. A quantia exata do pagamento feito para a contratação do assassino ainda não foi apurada.

A motivação do crime ainda não está clara, mas de acordo com o delegado, tudo indica que Eliza não queria se separar, mas que estava insatisfeita, e optou por uma forma criminosa de acabar com o relacionamento sem perder os bens.

Todos os suspeitos estão em prisão temporária. As investigações da Polícia Civil continuam para que outros detalhes do crime sejam esclarecidos. Todos os suspeitos serão indiciados por homicídio qualificado, furto e receptação de veículo roubado, além de ocultação de cadáver.

Relacionadas