Região Blumenau

Mesmo com queda nas temperaturas, Blumenau registra mais 2 mortes por dengue

Neste momento, há duas pessoas internadas em UTI e cinco em enfermaria

Autor
Mesmo com queda nas temperaturas, Blumenau registra mais 2 mortes por dengue
Foto: Arquivo / Prefeitura de Blumenau

Apesar das baixas temperaturas registradas nos últimos dias, os cuidados de prevenção à dengue devem continuar. Em Blumenau, no Vale do Itajaí, mais duas mortes pela doença foram contabilizadas nesta semana. É o que revela o Boletim da Dengue divulgado nesta quinta-feira (4) pela Secretaria Municipal de Saúde.

PUBLICIDADE

Desde o último boletim, divulgado em 27 de junho, a cidade registrou 180 casos da doença e duas mortes. O total acumulado desde a primeira semana de 2024 é de 60.199 casos prováveis. Destes, 35.828 estão em investigação, 24.371 foram confirmados e 35 mortes registradas. Neste momento, há duas pessoas internadas em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e cinco em enfermaria em hospitais de Blumenau.

“Vale lembrar que os casos prováveis são todos os casos notificados, suspeitos, confirmados e inconclusivos, com exceção dos descartados. Desse modo, todos os casos suspeitos, que estão no sistema, serão considerados prováveis. Isso permite uma análise mais precisa da situação”, informou a Secretaria de Saúde de Blumenau.

Prevenção contra a dengue durante o inverno

De acordo com a coordenadora do Programa de Combate à Dengue em Blumenau, Eleandra Casani, a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti não deixa de existir no inverno. O que muda é a velocidade do ciclo de desenvolvimento do mosquito. “Por isso, eu reforço que a população siga fazendo a sua parte, eliminando locais que acumulem água”, comenta.

“Vale lembrar que os ovos do Aedes aegypti são bastante resistentes e seja em ambiente seco ou de baixa temperatura, eles permanecem vivos e assim que as condições favoráveis voltem a ocorrer, com acúmulo de água e temperaturas mais quentes, o ciclo de proliferação volta a acontecer”, enfatiza Eleandra.  

Como evitar a proliferação do Aedes aegypti

* Elimine água parada de todos os recipientes;
* Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
* Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
* Mantenha lixeiras tampadas;
* Deixe os depósitos de água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
* Plantas como as bromélias, devem ser evitadas, pois acumulam água;
* Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
* Mantenha ralos cobertos com telas de malha fina para evitar que o mosquito tenha acesso ao local;
* Lave recipientes com depósito de água, como potes de comida e água dos animais, com escova ou esponja e detergente, no mínimo uma vez por semana;
* Se for necessário que o recipiente fique com água, como no caso de ralos, utilize hipoclorito;
* Retire a água acumulada em lajes;
* Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
* Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
* Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue.

Sinais e sintomas da dengue

A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos.

Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

Vacinação

A aplicação do imunizante contra a dengue, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde (MS), ocorre nas crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. Para receber a vacina, basta procurar por uma das unidades de saúde do município com sala de vacina ativa.

O esquema de aplicação da vacina contra a dengue é duas doses com um intervalo de três meses entre elas, e tem o objetivo de reduzir hospitalizações e óbitos pela doença.

Denúncias

A população também pode denunciar locais com possíveis focos do mosquito, entrando em contato com o Programa de Combate à Dengue, por meio do OuvidorSUS no telefone 156 (opção 4) ou pelo telefone 3381-7770.

O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Se a preferência for pelo registro on-line, basta clicar aqui

Relacionadas