Região Blumenau

Arcanjo terá bolsas de sangue para transfusões em casos urgentes

SC é pioneira neste serviço, que só existe em quatro cidades do mundo

Autor
Arcanjo terá bolsas de sangue para transfusões em casos urgentes
Fotos: Divulgação / Corpo de Bombeiros

O serviço aeromédico prestado pelo helicóptero Arcanjo-03 na região do Vale do Itajaí terá um incremento a partir de agora, que promete ajudar a salvar mais vidas. A aeronave será dotada de bolsas de sangue para que, em casos de extrema urgência, possam ser realizadas transfusões nos pacientes durante o atendimento em cena ou durante o transporte aéreo.

PUBLICIDADE

O serviço, chamado de Sangue Total, foi inaugurado na tarde desta terça-feira (28), em Blumenau, em cerimônia na 2º Companhia do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, com a presença do governador Jorginho Mello e demais autoridades envolvidas nos tramites necessários para implementação do trabalho.

Santa Catarina é pioneira neste tipo de serviço, que é ofertado em apenas quatro cidades no mundo, nos países da Noruega, Israel, Estados Unidos e Brasil (Florianópolis). Com essa inauguração em Blumenau, o Estado coloca o Brasil no patamar de único país a ofertar o serviço de Sangue Total em duas cidades diferentes.

“Esta é mais uma parceria para assistir da forma mais qualificada possível todas as pessoas que necessitam desse suporte avançado à vida e coroa ainda mais o trabalho prestado há 14 anos pelo Serviço Aeromédico catarinense”, afirma o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, coronel Fabiano Bastos das Neves.

Como funciona o Sangue Total

O Sangue Total é inovador e visa o transporte de bolsas de sangue para que, em casos de extrema urgência, possam ser realizadas transfusões de sangue nos pacientes durante o atendimento em cena ou durante o transporte aéreo nos helicópteros Arcanjo.

Esta ação garante que os pacientes sejam transferidos aos hospitais com maior probabilidade de vida, visto que os protocolos mundiais de atendimento comprovam que a reposição de volume é fundamental para pacientes que perderam uma grande quantidade de sangue.

A parceria entre o Batalhão de Operações Aéreas (BOA) do Corpo de Bombeiros, o SAMU Aeromédico e o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) viabiliza o programa, que tem como objetivo justamente aumentar as chances de sobrevida de pacientes graves durante os atendimentos.

Para garantir o funcionamento adequado do serviço, o Hemosc fornece duas bolsas de “Sangue Total”: uma do tipo O+ e outra do tipo O-, de acordo com a disponibilidade em estoque. Essas bolsas são armazenadas na sede do BOA e, durante o atendimento, transportadas em uma caixa térmica especial, que assegura a conservação adequada do sangue.

Como começou o serviço em SC

Este projeto iniciou no segundo semestre de 2021, quando o Hemosc foi procurado pelas equipes do BOA para uma possível parceria de fornecimento de sangue para uso nos atendimentos pré-hospitalares realizados pela corporação.

Diante dessa demanda, o Hemosc realizou pesquisas sobre o assunto para entender os requisitos deste tipo de fornecimento e julgou como viável de ser realizado. Em dezembro de 2021, houve uma palestra com o Dr. Mark Yazer, da Universidade de Pittsburgh (EUA), referência americana na área e na oportunidade foi definida a parceria e início dos trabalhos para concretizar o fornecimento.

Após a definição da viabilidade, houve várias reuniões entre os profissionais envolvidos para orientação, alinhamento de condutas e definições de responsabilidades. O Hemosc fornece as bolsas de sangue total O+ (positivo) com baixo título de hemolisina ou O- (negativo), conforme a disponibilidade do estoque.

As bolsas são armazenadas na sede do BOA e acondicionadas em caixas térmicas para transporte quando houver acionamento da unidade para atendimento de intercorrências. Em caso de necessidade, o Sangue Total poderá ser transfundido no atendimento pré-hospitalar, mediante assinatura de termo de consentimento pelo médico responsável pelo atendimento da ocorrência, autorizando a transfusão de emergência sem a realização dos testes pré-transfusionais.

O paciente será transferido para hospital de referência, em que serão realizados os testes transfusionais obrigatórios na legislação e toda a rastreabilidade do processo será garantida, conforme o alinhamento.

As responsabilidades de cada unidade estão descritas no termo de cooperação assinado entre as instituições e as orientações técnicas referentes aos procedimentos hemoterápicos foram realizadas pelo Hemosc, sempre levando em consideração o que indica a Portaria de Consolidação nº5 de 2017 e RDC 34 de 2014 e demais padrões de qualidade em que o Hemosc é certificado.

Relacionadas