Região Grande Florianópolis

São José: motoristas reclamam de obra na Avenida Leoberto Leal

Segundo os condutores, faixas de pedestres elevadas têm causado lentidão no trânsito

São José: motoristas reclamam de obra na Avenida Leoberto Leal
Foto: Guararema News

Moradores, empresários e trabalhadores de São José têm demonstrado insatisfação em relação à obra realizada pela prefeitura na Avenida Leoberto Leal, em Barreiros. A via recebe um grande fluxo de veículos diariamente, pois é um dos corredores intermunicipais da Grande Florianópolis, ligando a BR-101 à Capital.

PUBLICIDADE

No decorrer do 1º trimestre de 2024, a avenida recebeu obras de recuperação da drenagem, reforço da sub-base e base das quatro vias, revestimento asfáltico, e o início de um novo padrão de calçamento com paver. No entanto, uma das principais reclamações da população é a implantação de faixas de pedestres elevadas ao longo da via.

Essas faixas, segundo os motoristas que trafegam no local, têm ocasionado engarrafamentos recorrentes e, por vezes, até mesmo, trânsito parado, já que para passar sobre as elevações é necessário reduzir a velocidade. Devido à grande quantidade de veículos, o tráfego acaba perdendo a fluidez.

A velocidade máxima da via é de 50 quilômetros por hora, mas contestações apontam que, de maneira recorrente, o trânsito flui em 10 quilômetros por hora, fazendo os condutores levarem um longo tempo até o destino. As reclamações também abrangem o valor gasto na obra, que segundo as avaliações, não apresenta resultados efetivos. Os serviços demandaram um investimento de R$ 2,9 milhões.

O que diz a prefeitura

Ao ser questionada pela redação do portal Guararema News, a assessoria da Prefeitura de São José reafirmou que a avenida é uma via local que recebe diversos comércios, bancos, universidade, escola e academia, e por conta disso, também conta com o trânsito de muitos pedestres.

Por esse motivo, as travessias elevadas, de acordo com a administração do município, foram implantadas para que a avenida seja seguramente compartilhada entre pedestres, ciclistas e veículos. A gestão pontuou ainda que ao invés de optar pela avenida, o motorista também pode avaliar outras alternativas, como as rodovias estaduais e federais.

Por fim, a assessoria também relembrou do projeto da Beira-Mar de Barreiros, que visa, primordialmente, desafogar o trânsito da Avenida Leoberto Leal “de médio a longo prazo”, conforme pontuou a administração. A obra está orçada em aproximadamente R$ 509 milhões em uma parceria entre as prefeituras de São José e Florianópolis.

Beira-Mar de Barreiros

O projeto da rodovia, que está em suas tratativas finais, trata-se da implantação de uma nova via que ficará no limite com Florianópolis, no Rio Büchler, até a ligação com a BR-101, no Rio Três Henriques, em Barreiros.

A obra completa, com extensão de 8,2 quilômetros, terá 3,7 quilômetros em São José e 4,5 quilômetros na Capital. Os investimentos serão de R$ 244 milhões para a primeira cidade e R$ 265 milhões para a segunda.

O projeto prevê pistas de rolamento, passeios, ciclovias, área de lazer e bolsões de estacionamentos. De acordo com o Executivo de São José, a obra é prioritária e visa melhorar a mobilidade urbana, além de oferecer espaços de convivência para a população e o desenvolvimento socioeconômico e social da região.

Na última semana, foi realizada uma rodada de reuniões com técnicos do Governo Federal e Fundo Financeiro para Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata), para tratar detalhes do contrato e das condições do financiamento, como juros e prazos de amortização.

Em paralelo às tratativas burocráticas, a Prefeitura de São José prepara o projeto para a fase de licitação. A proposta está sob análise do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), para emissão da Licença Ambiental Prévia (LAP). O órgão ambiental ainda deve convocar uma audiência pública para complementar a análise.