Região Grande Florianópolis

Safra da tainha terá banheiros químicos e iluminação nos ranchos de pesca

Novidade foi anunciada pela Prefeitura de Florianópolis, mas é preciso solicitar os serviços

Autor
Safra da tainha terá banheiros químicos e iluminação nos ranchos de pesca
Foto: divulgação

Os pescadores artesanais que vão trabalhar em mais uma edição da tradicional safra da tainha em Florianópolis, a partir de maio, vão contar neste ano com um reforço na equipe que promete mais conforto e praticidade. A Prefeitura da Capital anunciou nesta semana que pretende instalar banheiros químicos e iluminação pública nos ranchos de pesca.

PUBLICIDADE

No entanto, a Subsecretaria de Pesca, Maricultura e Agricultura, que será a responsável pelas instalações, só vai atender as estruturas mediante solicitação dos pescadores. Os pedidos podem ser feitos até sexta-feira (5), através do link: https://tinyurl.com/banheiroeluzparasafra.

“Através dessa iniciativa, buscamos melhorar as condições de trabalho dos pescadores, proporcionando-lhes mais conforto e segurança durante a Safra. Estamos com compromisso de atender as necessidades da comunidade pesqueira. E também facilitar o desenvolvimento destas atividades em nosso município”, explica Adriano Weickert, subsecretário Municipal de Pesca, Maricultura e Agricultura.

“Estamos com o compromisso de apoiar nossos pescadores. Queremos garantir boas condições de trabalho durante a Safra da Tainha. A disponibilização de banheiros químicos e iluminação nos ranchos de pesca é uma iniciativa importante. Ela promove o bem-estar e a segurança desses trabalhadores”, salientou o prefeito Topázio Neto.

Foto: divulgação

Safra da tainha foi recorde em 2023

No ano passado, a temporada da tainha começou em 15 de maio e se estendeu até 31 de julho. Nesse período de dois meses e meio, se capturou mais de 257 mil tainhas somente na Capital e de forma artesanal, o que representou um crescimento da safra de 77,28% em comparação com o ano anterior.

Na pesca artesanal, o trabalho ocorre por comunidades tradicionais que, em embarcações pequenas dentro do mar. Eles jogam uma rede de cerco, e fecham os animais em um “saco”. A rede, assim que acontece a captura do cardume, se arrasta a rede pelas extremidades até a areia da praia.

Relacionadas