Região Grande Florianópolis

Caso Roberto Salum: testemunhas são ouvidas nesta quarta-feira

Ex-diretor do Procon estadual é acusado de assédio sexual e moral

Autor
Caso Roberto Salum: testemunhas são ouvidas nesta quarta-feira
Roberto Salum tem 67 anos. Foto: divulgação

Três pessoas são aguardadas para prestar depoimento na tarde desta quarta-feira (3) na sede da Deic da Polícia Civil, em Florianópolis. As coletas dão seguimento às investigações sobre o ex-diretor do Procon Estadual, Roberto Salum, de 67 anos. Dois depoentes estão entre os servidores do órgão que formalizaram uma denúncia contra Salum por assédio moral e sexual.

PUBLICIDADE

A terceira a depor será uma mulher que não trabalha no Procon, mas que na semana passada apresentou outra denúncia contra Salum. Após a repercussão do caso, ela conta que resolveu trazer à tona uma situação em que foi, como afirma, vítima de assédio sexual, numa época anterior ao período em que Salum trabalhou no Procon.

Nas denúncias, uma das vítimas, de uma empresa terceirizada, revelou à Polícia que Salum lhe beijou à força ao lhe dar carona após um dia de trabalho. Outros servidores afirmam que Salum, que é ex-policial civil em aposentadoria, costumava trabalhar armado com uma pistola na cintura.

Trajetória de Roberto Salum

A Polícia também apurou que Salum esteve na sede do Procon num domingo em fevereiro, quando levou consigo alguns computadores do órgão. Ele disse ao porteiro e, mais tarde, aos demais servidores, que a apreensão fazia parte de uma operação do Gaeco, que investigava uma suposta corrupção no Procon. A Polícia civil, no entanto, apurou que a investigação nunca existiu.

Na manhã desta quarta (3), Salum postou um vídeo nas suas redes sociais, onde reafirma que sofre perseguição por investigar um suposto esquema de corrupção e desvio milionário dentro do Procon. Salum inclusive afirma que recebeu avisos de que sofreria represálias caso resolvesse levar a investigação adiante.

Policial aposentado, Salum trabalhou por alguns anos como apresentador de programas policiais na TV catarinense. Por conta da exposição na TV, ingressou na política em 2006, quando concorreu a deputado federal pelo PSB, mas não se elegeu. Em 2010, pelo PP, se elegeu como suplente com 34.361 votos.

Na eleição seguinte, em 2014, concorreu a deputado estadual, ficando na sexta suplência, com 27.900 votos, e chegou a exercer mandato por dois períodos, entre julho e setembro de 2016, e entre novembro de 2017 e abril de 2018.

Em 2018, Salum concorreu ao Senado pelo PMN. Fez 246.686 votos, mas não se elegeu. Dois anos depois, em 2020, concorreu a prefeito de São José, na Grande Florianópolis, pelo partido Patriota. Mas recebeu apenas 4.110 votos, e ficou na oitava colocação. Desde 2006, Salum passou por oito partidos, mas desde 2022 é filiado ao PL. Nas suas redes sociais, exibe dezenas de fotos e vídeos ao lado do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Relacionadas