Região Brasil

Nova plataforma do Ibama vai acompanhar recuperação ambiental

Ação integra Política Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa

Autor
Nova plataforma do Ibama vai acompanhar recuperação ambiental
Incêndio florfestal na Serra do Tabuleiro, em Palhoça. Foto: divulgação

Uma nova plataforma de internet vai reunir dados de áreas em degradação ou alteração para desenvolvimento de projetos ambientais. Ela vai se chamar Plataforma de Acompanhamento da Recuperação Ambiental (Recooperar). É uma iniciativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A norma que institui a ferramenta saiu nesta terça-feira (2) no Diário Oficial da União e deve vigorar a partir de 15 de abril.

PUBLICIDADE

Além das ações de recuperação ambiental do Ibama, a Recooperar vai reunir processos administrativos, inclusive municipais e estaduais. São processos sobre áreas em degradação e dados geográficos como bioma e informações hidrográficas, além de definições como a destinação. Também terá informações se a área pertence a uma unidade de conservação, territórios quilombolas, terras indígenas, ou se possui Cadastro Ambiental Rural (CAR). Um exemplo é a área no Parque da Serra do Tabuleiro, em Palhoça, onde constantememte ocorrem incêndios florestais.

De acordo com o Ibama, a plataforma incorporou informações sobre áreas em embargo, sobre Planos de Recuperação de Áreas Degradadas (Prads) para reparação de danos ambientais, projetos de plantio compensatório e reposição florestal.

Plataforma de Análise

Atualmente, o acompanhamento de processos do Ibama é feito por meio da Plataforma de Análise e Monitoramento Geoespacial da Informação Ambiental (Pamgia), onde estão disponíveis apenas consultas de processos por estado, município, data de cadastro, origem ou número do processo administrativo. Para a nova plataforma haverá migração de dados de outras plataformas do órgão, como o Cadastro Simplificado de Vetores do Ibama (CASV).

Segundo as normas, o Ibama disponibilizará também instruções aos usuários para acesso à nova plataforma, cadastro de perfil e consulta às funcionalidades.

A iniciativa é uma estratégia de implementação da Política Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa, também alinhada aos acordos internacionais assumidos pelo Brasil, como o Desafio de Bonn e a Iniciativa 20×20, que têm como meta restaurar 12 milhões de hectares de áreas degradadas até 2030.

Relacionadas