Região Grande Florianópolis

“Mandonas”: projeto conta história das mulheres prefeitas em SC

Parceria entre a UFSC e a Fecam resultou num documentário

Autor
“Mandonas”: projeto conta história das mulheres prefeitas em SC
Cleci Veronezi, prefeita de Rancho Queimado. Foto: Divulgação

Santa Catarina possui hoje 30 mulheres ocupando o mais alto cargo do executivo municipal em suas cidades. As histórias de algumas dessas prefeitas serão narradas em um projeto por iniciativa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A iniciativa ocorre em parceria com a Federação de Consórcios, Associações de Municípios e Municípios de Santa Catarina (FECAM).

PUBLICIDADE

O projeto “MANDONAS: Memória e História das Prefeitas de Santa Catarina” busca “dar mais visibilidade a estas mulheres. E também incluir estas histórias no ensino escolar e estimular que as meninas queiram participar da vida política. A ideia é promover o respeito às mulheres que são lideranças políticas, costumeiramente chamadas de ‘mandonas’”, ressalta Teresa Kleba Lisboa, professora da UFSC que está à frente do projeto.

Um documentário, que reúne todos esses relatos, será lançado durante o Seminário do Movimento de Mulheres Municipalistas Catarinenses, que acontece na quarta-feira (6), em Campos Novos. “Em 2021, a FECAM lançou o Movimento das Mulheres Municipalistas em nosso Estado com o objetivo de fortalecer a participação das mulheres na política. Neste ano, voltaremos com este movimento que é importante e que dá destaque para as nossas prefeitas”, destaca Milena Lopes, prefeita da cidade de Vargem e membro da diretoria da FECAM.

Santa Catarina possui hoje 30 mulheres ocupando o mais alto cargo do executivo municipal em suas cidades. As histórias de algumas dessas prefeitas serão narradas em um projeto por iniciativa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizado em parceria com a Federação de Consórcios, Associações de Municípios e Municípios de Santa Catarina (FECAM).
Prefeita de Vargem, como governador Jorginho Mello. Foto: divulgação

Mandonas

O projeto ocorre em parceria entre UFSC e FECAM vai ao encontro do objetivo do Seminário Mulheres Municipalistas. Esse objetivo é o de estimular a maior participação feminina em eleições. Em Santa Catarina, de 2000 a 2022, apenas 107 mulheres foram eleitas para o cargo de prefeitas. Esse número é 15 vezes menor do que o de prefeitos homens eleitos, que é de 1.677.

A prefeita Cleci Veronezi, que há dois mandatos consecutivos comanda a prefeitura de de Rancho Queimado, na Grande Florianópolis, também participa do encontro. Ela obteve aprovação de 92% dos eleitores da sua cidade, a mais alta em todo o estado de Santa Catarina. Sua cidade teve mais mulheres do que homens candidatos nas últimas eleições municipais, em 2020. “Neste ano de 2024 para vereadores não será diferente”, prevê.

Relacionadas