Região Grande Florianópolis

Identificado casal de assaltantes de roubo frustrado com morte em Florianópolis

Mulher ajudou dupla de ladrões a entrar no estabelecimento

Identificado casal de assaltantes de roubo frustrado com morte em Florianópolis
´Pátio interno do estabelecimento onde ocorreu o assalto frustrado. Foto: Facebook / divulgação

Foi identificado o casal de assaltantes preso após um roubo frustrado a um estabelecimento comercial ocorrido na tarde de sábado (2), no bairro Estreito, na região Continental de Florianópolis. Um terceiro bandido acabou morto a tiros quando uma das vítimas reagiu.

PUBLICIDADE

De acordo com o relatório da Polícia Civil, Myrella Marcolino bateu na porta da Marina Sea Escape, por volta das 15h40 e foi atendida pelo filho do proprietário, que estava com o pai trabalhando no local. A mulher pediu informações para suposto aluguel de jet-ski, e, quando a porta foi aberta para que ela entrasse, outros dois assaltantes armados invadiram o local e anunciaram o roubo.

Uma das vítimas após ser bastante agredida entrou em luta corporal com um dos assaltantes, enquanto o pai, que também sofreu lesões corporais e ameaças de morte, conseguiu pegar uma arma registrada que estava guardada. O pai disparou e acertou tiros em Erick Gabriel dos Santos Teles, que, mesmo baleado, conseguiu sobreviver, mas acabou sendo localizado pouco depois pela polícia. Ele foi levado ao hospital onde permanece sob custódia e deve ser preso assim que tiver alta.

Após atirar no primeiro assaltante, o proprietário do estabelecimento disparou contra o segundo bandido, que já havia dominado seu filho no chão. Ele não resistiu ao ferimento e morreu no local, mas sua identidade ainda não foi divulgada.

Marina onde ocorreu o crime. Foto: divulgação

A caminho da delegacia, Myrella contou aos policiais que havia recebido uma “missão” do crime organizado para ajudar no roubo. Os três são naturais do Paraná, mas residem em Florianópolis.

De acordo com os advogados das vítimas, os criminalistas André Kinchescki e Paola Vargas, o inquérito foi aberto na Polícia Civil como tentativa de latrocínio. Devido às evidências de que o assaltante que estava armado foi morto em legítima defesa, as vítimas, pai e filho, sofreram lesões diversas e consideram-se renascidos.

A perícia confirmou que um dos assaltantes estava armado e teria disparado, mas a arma não funcionou. O tiro teria sofrido o chamado “efeito chaminé”, quando a fumaça sai pela parte de cima da pistola.

A reportagem do Guaraema News apurou que a intenção dos bandidos era roubar dois jet-skis que estavam guardados na Marina. A polícia investiga um quarto membro do grupo, que estaria dirigindo um caminhão nas imediações, que seria usado para transportar as moto-aquáticas roubadas.

Relacionadas