Região Brasil

Homem de 37 anos alega ser filho do cantor Zeca Pagodinho

Desde 2017, ele tenta fazer um teste de DNA

Homem de 37 anos alega ser filho do cantor Zeca Pagodinho
Foto: Tânia Rego / Agência Brasil

Um homem de 37 anos alega ser filho do cantor Zeca Pagodinho. Diego Maradona Teixeira buscou a Justiça no mês de outubro a fim de obter o reconhecimento legal, mas a histórica de idas e vindas entre os dois é um pouco mais antiga. As informações são do colunista Leo Dias.

PUBLICIDADE

Diego conta que sua mãe se relacionou com o artista em 1987, época em que Zeca já era casado e já teria iniciado a carreira. A mãe dele, ao descobrir que estava grávida, decidiu ter o bebê na região Nordeste, onde entregou o menino aos padrinhos.

As informações sobre seu suposto pai só teriam sido reveladas a Diego quando ele tinha 11 anos. O homem busca fazer o exame de DNA desde 2017, mas passou por alguns desencontros com Zeca.

Na primeira tentativa, as partes tiveram a comunicação interrompida. Ele voltou a buscar a assessoria do artista em julho deste ano, quando marcou o exame em concordância com a equipe jurídica do sambista, mas precisou cancelar por “conflitos de agenda”.

Além disso, não houve acordo sobre o local em que o exame de DNA seria realizado: Diego buscava um laboratório, enquanto a equipe sugeria o escritório do cantor. Com isso, os representantes jurídicos de Diego acusam a outra parte de tentar burlar o acordo, enquanto os advogados de Zeca acusam Diego de tentar tornar o caso público.

Em virtude do impasse, o suposto filho do cantor abriu um processo, a fim de obrigar o músico a fazer o teste de paternidade e, pedindo à Justiça que defina sobre o laboratório.

Veja a nota emitida pela equipe de Zeca ao portal Leo Dias sobre o caso:

O advogado do artista Zeca Pagodinho, Caio Mariano, informa que, uma vez procurado pelo representante do requerente, o artista sempre se colocou à disposição para a realização do exame de dna. Ocorre que o requerente não aceitou que o exame fosse realizado em um local privado sugerido pelo artista, que embora seja pessoa pública, necessita ter sua intimidade preservada. Optou portanto o requerente em não fazer o exame em local sugerido pelo artista. Tomamos conhecimendo via imprensa que o requerente recorreu ou recorrerá à via judicial para realização do procedimento. Caso o judiciário determine que seja realizado, o artista o fará como cidadão e cumpridor da lei que é“.

Relacionadas