Região Grande Florianópolis

Alargamento da faixa de areia em Jurerê começa com chegada das dragas

Obra que será feita pela terceira vez no Norte da Ilha terá cerca de 3,38 km

Autor
Alargamento da faixa de areia em Jurerê começa com chegada das dragas
Foto: Leonardo Souza / divulgação

As obras de alargamento da faixa de areia na praia de Jurerê, no Norte da Ilha, em Florianópolis, iniciaram nesta sexta-feira (26), com a chegada das dragas e demais equipamentos que farão o serviço. A dragagem vai começar pelo lado de Jurerê Tradicional, onde, em alguns pontos, a faixa de areia já não existe mais, e a largura máxima da praia da região é de aproximadamente 15 metros.

PUBLICIDADE

A expectativa é a de que, com o alargamento, a faixa de areia chegue a 40 metros, e se estabilize em 30 metros, após a conformação natural pela maré. Apenas um pequeno trecho de cerca de 50 metros próximo ao costão que faz divisa com Canajurê não será alargado por conta do Rio das Ostras.

No final, a expectativa é de que o alargamento atinja os 3,38 quilômetros de extensão da praia, beneficiando tanto a parte internacional quanto a tradicional. O principal objetivo da obra de Jurerê é a recuperação da faixa de areia, bem como a contenção da erosão marinha. A obra é uma parceria entre Município e Governo do Estado com investimentos previstos de R$ 24,8 milhões.

Esta é a terceira obra de engordamento de praia no Norte da Ilha em pouco mais de quatro anos. Os serviços serão conduzidos pela Secretaria Municipal de Transportes e Infraestrutura.

“Essa é uma obra esperada há muito tempo não só pela comunidade de Jurerê, mas pela cidade inteira. Isso, no mundo, é muito usual. Florianópolis é pioneira nisso e tomou a dianteira em nível de Brasil. Essa vai ser mais uma obra de sucesso, pensada para melhorar a qualidade de vida dos moradores da região e para turistas”, comemorou o prefeito Topazio Neto.

“Vai estruturar a praia de Jurerê, como aconteceu em todas as outras que fizeram o engordamento da faixa de areia aqui em Santa Catarina. É uma obra que embeleza e dá mais segurança para quem mora e também pra quem visita a região”, disse o governador Jorginho Mello.

Foto: Leonardo Souza / divulgação

A Secretaria de Transportes e Infraestrutura tem como estratégia trabalhar em 200 metros de faixa de areia por vez, de modo a conciliar os serviços com a procura pela praia pelos banhistas durante a alta temporada. Assim, somente o trecho em obras terá o acesso fechado temporariamente, a cada dois a três dias, para garantir a segurança da população. Neste sentido, a Prefeitura reforça a importância de moradores e turistas ficarem atentos à sinalização local.

A agilidade na liberação dos trechos alargados e, consequentemente, no avanço da obra, será possível porque a dragagem de areia de jazida submarina de até 2,5 metros de profundidade localizada a 1.350 metros de distância da orla vai acontecer 24 horas por dia enquanto durarem esses serviços. Durante o período, deve ser dragado um volume de 491,22 mil metros cúbicos de areia com a mesma coloração e granulatura (dimensão) da que perfaz esse que é um dos balneários de maior movimentação turística na alta temporada, em Florianópolis.

O engordamento de Jurerê conta com as devidas licenças ambientais provisória e de instalação do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), e autorizações da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Ele representa um investimento de R$ 24,79 milhões, sendo que metade desse valor será pago pelo governo do Estado.

O serviço de dragagem

A dragagem corresponde à escavação de areia do fundo do mar com o auxílio de um tipo especial de embarcação, no caso, a draga auto-transportadora de arrasto (tipo Hopper). A embarcação é resistente às intempéries, o que significa dizer que atua mesmo em dias de chuva.

O trabalho, efetivamente, funciona assim: após extrair o material, a draga é deslocada até 200 metros da orla – essa distância evita que ela encalhe na areia da praia em si – para ser acoplada a uma tubulação de 450 metros. Mas só a parte da tubulação que flutua sobre a água é que fica posicionada perpendicularmente à praia; o restante da tubulação fica “em terra”, em paralelo à faixa de areia que está sendo alargada. Efetuado o acoplamento, a draga bombeia a areia para transportá-la pela tubulação até o balneário e, na sequência, ela é espalhada por tratores. Sendo que esse processo será repetido quantas vezes for necessário até a conclusão da obra.

Praia de Canasvieiras e Ingleses também foram alargadas

A praia de Canasvieiras foi a primeira a ser alargada, obra que foi inaugurada em janeiro de 2020. Ela teve a faixa de areia aumentada nos 2,34 km entre Canajurê e o trapiche, com um volume de cerca de 400 mil metros cúbicos de areia. Depois disso, foi feito o engordamento da praia dos Ingleses, beneficiando os 2,87 km entre o Canto Sul, onde ficam as dunas, até 500 metros antes da Foz do Rio Capivari. Na obra, entregue em março deste ano, o volume dragado foi de aproximadamente 500 mil metros cúbicos.

Relacionadas